Mensagem de Natal

imageEstamos de férias e devido a isto o intervalo nas postagens.

Mas isto não significa que esquecemos da nossa missão.

Hoje encontrei por acaso meu caderno de anotações, interessante o que um tempo sem escrever faz conosco, passamos a ver o mundo diferente um pouco a cada dia e quando nos damos conta, o vemos completamente diferente do que há pouco tempo, porém, não percebemos.

A isto é interessante as anotações, como num diário, depois de um ano, se relermos nossas anotações encontraremos muita coisa diferente em nós.

Principalmente o que se refere a forma de pensar.

Há um ano eu sentia muita raiva com o sistema religioso, e culpava, de certa forma, as pessoas e não o próprio sistema. Mas hoje consigo enxergar, através de meus próprios textos e dos textos de meus companheiros, que o sistema é corrupto demais e corrompe as pessoas. Porém elas não são culpadas de estarem corrompidas. Faço aqui algumas exceções, mas em via de regra geral, é assim.

A pessoa corrompida, corrompe outras, isto porque elas acabam envolvidas demais e presas ao sistema.

Poucas conseguem realmente sair e quando saem tentam por todas as maneiras retirarem as pessoas que levaram para dentro da máquina.

Os corrompidos são aqueles que tomam posições importantes dentro do sistema, as vítimas são todas as pessoas, porém o mais triste é ver as pessoas que se entregam por uma falsa compreensão de fé. Infelizmente elas realmente acreditam estarem no caminho certo e quando sentem dúvidas temem demais para questionarem. E quando questionam, são “castigadas”, humilhadas, desacreditadas e por fim afastadas.

“Melhor perder um só homem que toda uma nação”, disse Caífas para justificar a prisão e morte de Jesus.

Na altura em que Jesus foi preso, eles, os donos do sistema religioso, sabiam que Jesus não era uma pessoa comum, que falava segundo o Pai, o Altíssimo e Criador.

Porém a ganância do sistema é forte demais e a incredulidade de seus líderes Naquele que pelo qual pregam é tamanha, que não enxergam o mundo mais que este plano físico aqui e se sentem poderosos demais para acreditar em suas próprias mortalidades.

Assim, a justificativa de Caifás é na verdade não temendo uma represália do governo Romano, mas a perda financeira e de poder que as palavras do Salvador causavam. Elas realmente estavam afastando o povo da religião, fazendo com que eles enxergassem cada vez mais que a Graça do Criador não era a prosperidade oferecida pela religião e sim a própria vida e tudo o que dela se acercava.

As dádivas dadas pelo Pai Criador, não era a vida feliz e próspera ainda oferecida pelo sistema, mas sim a chuva, a colheita, o alimento, os filhos, a vida em geral e tudo o que nela há, como o Sol, a Lua e as estrelas, também as areias do deserto, da praia, a abundância de graças e de graça dada pelo Pai. Cada fonte, cada nascente, cada flor e cada fruta.

Simplesmente a dádiva de estar vivo e experimentar, mesmo que por um breve momento, a beleza do Criador.

O Sistema corrompe e cega de  tal forma, que não vemos isto e continuamos escravos das crenças, do governo e de todo materialismo e consumismo. Somos presos a esta escravidão pelo simples fato de não conseguirmos enxergar a ilusão que é este mundo.

O sistema irá cair um dia?

Sim, mas de forma individual, porque a forma como ele existe firmado na Terra, esta somente acabará com o fim da humanidade.

Uma pessoa que desperta para o sono intranquilo do sistema religioso, esta desperta para a verdadeira liberdade e dela fica livre para todo o sempre.

Este mundo de dor e sofrimento nada mais é que uma ilusão, mas existe sim um mundo repleto de luz e paz, disto não tenha dúvida. Mas nem todos conseguirão desfrutar dele porque estão presos aqui neste mundo de dor e sofrimento. Mas estão presos e gostam tanto dele que não conseguem ver a verdade, pois preferem a mentira.

Não estou aqui dizendo que devemos largar nossas obrigações, nossos empregos e nossa vida física, mas sim que tudo isto seja apenas parte fundamental da existência e sobrevivência, porém jamais uma parte fundamental para o que realmente somos!

Somos filhos do Criador! Somos parte da criação e das coisas dela devemos cuidar.

Amor ao próximo é Amor ao Pai, respeito ao Pai, devoção, adoração verdadeira e verdadeiro culto.

Se o céu é o trono e a Terra o escabelo de seus pés, então estamos dentro do verdadeiro templo e por isso somos o templo. Viver em Amor ao Próximo é viver verdadeiramente Congregação, sem paredes, templos ou qualquer porcaria que o sistema insiste em te enganar, mas em verdadeira comunhão com o Pai Altíssimo.

Quero desejar a todos um bom fim de ano, que tenham boas festas se forem faze-las e que o ano que se inicia seja melhor que este.

Até breve!

Deixe uma resposta

Seu e-mail não será publicado.