Torá, Lei e Ensinamentos

!cid_25C2462A95B64290836857A13411174A@vmA palavra Torá, do hebreu, significa numa tradução simples, Ensinamentos do Criador. Por esta razão, ela é tão importante até os dias de hoje.

Mas para nós, do mundo moderno, esta palavra não foi apresentada em sua tradução original, mas de forma a enganar (como sempre).

A palavra Torá foi traduzida e ensinada com o nome de EVANGELHO.

Isso para confundir, para afastar da verdade. Não é à toa que eu repito isto, mas de fato é para enganar e iludir. Para que o povo não percebesse que a Torá e os Ensinamentos do Cristo Messias eram exatamente a mesma coisa.

Preguiça de ler? Então ouça!

Explicam nos cursos teológicos (que não prestam diga-se de passagem), Que a Torá é a Lei de Deus dada por Moisés ao povo e que nos representaria até os dias de hoje.

Mas, “péra lá”, Torá e Evangelho é a mesma coisa?

Na forma de viver sim, mas na forma como ensinam não.

Torá não representa a Lei nem os Mandamentos, A Lei Mosaica e os Mandamentos se encontram na Torá, por isso que a Torá é o ENSINAMENTO das coisas do CRIADOR e PAI.

Lei é imposição, Ensinamento é AMOR.

Mas para que não houvesse uma ligação da Nova Religião com a antiga, mudaram o nome. Sendo assim, diferiram o que era Judaísmo do Cristianismo, colocaram como coisas distintas.

Não falo da origem do povo, mas da regra religiosa.

De fato, se analisarmos profundamente, entenderemos que Jesus, antes do martírio, era um judeu, viveu como um judeu, cumpriu a lei judaica e foi condenado como um judeu subversivo. Quando ele morre na cruz e três dias depois volta a vida, ele volta acima da Lei, pois ele já a cumpriu e deste ponto em diante é que deveríamos aplicar a regra de tempo do Novo Testamento, e não quando ele vive até os 33 anos.

Porque para nós, humanidade em geral, que não somos o “Povo Escolhido” mas os “Gentios”, só recebemos a Torá deste dia em diante.

Se há dúvidas que somos Gentios, então eu te pergunto para esclarecer e tirar as dúvidas:

A qual tribo de Israel você pertence? Qual sua origem Hebraica?

Se a resposta é nenhuma, somos então Gentios, que significa que não somos de nenhuma tibo de Israel.

Quando o ensinamento começou a se espalhar, para a humanidade, foi somente depois da ressureição e foi a princípio através do Livro de Mateus, e das cartas de Paulo e dos outros apóstolos.

imageMas era a palavra de boca em boca que tinha verdadeira força. Paulo e os outros apóstolos iam de cidade em cidade ensinando, que depois foi implicado nas traduções a palavra pregando para impor similaridade ao Cristo. Mas isso não é correto.

A Torá, ou os Ensinamentos do Criador, é bem mais antigo que se imagina, não é um livro ou um texto, mas o VERBO. Moises transcreveu a Torá e as leis e mandamentos em textos e livros para espalhar de forma mais rápida, para que todos pudessem conhecer.

Mas a Torá, o VERBO, em tratados antigos hebreus, era definido da seguinte forma:

“A Torá é o Fogo Branco misturado ao Fogo Negro, não estava escrito porque nada havia sido criado, porém Ela sempre existiu”.

Oras, isso faz sentido se analisarmos os Evangelhos, nos ensinamentos de João, é exatamente assim que ele define o Cristo:

No princípio era o Verbo, e o Verbo estava com Deus, e o Verbo era Deus.

Ele estava no princípio com Deus.

Todas as coisas foram feitas por ele, e sem ele nada do que foi feito se fez.

Nele estava a vida, e a vida era a luz dos homens.

E a luz resplandece nas trevas, e as trevas não a compreenderam.

João 1:1-5

 

João explana de forma incrível o que já dissemos aqui, que o Cristo é a Palavra ou o Verbo, não o livro que chamamos de bíblia.

O Verbo, ou Torá, sempre existiu em forma pura, ou seja, os Ensinamentos do Pai. Porque João continua seu texto e diz claramente que o VERBO se fez CARNE!

E o Verbo se fez carne, e habitou entre nós, e vimos a sua glória, como a glória do unigênito do Pai, cheio de graça e de verdade.

João 1:14

A Torá se fez Carne, veio como homem e ensinou como homem!

ENSINOU!

Esta é a chave de tudo, ENSINOU a palavra pela palavra.

Mas não fez como os homens e mulheres autointitulados como representantes de deus na terra. Ele falava e ensinava e dava o exemplo do que dizia. Trouxe a paz de espírito aos homens e mulheres do mundo que o conheceram até os dias de hoje.

Conheceram, mas não graças as religiões, mas conheceram dentro de sí e praticaram conforme o Cristo ensinou. E muitos o fizeram sem mesmo JAMAIS ter ouvido o nome de Jesus, YoHoShua ou YeShua… mas fizeram.

Todo aquele que aprendeu a amar e praticou o amor ao próximo, amor verdadeiro sem esperar nada em troca, praticou e fez a Obra do Pai.

As pessoas acreditam que é o nome Jesus que faz a diferença, mas o que faz a diferença é aquele que segue os ensinamentos do Cristo, que é e sempre foi: “Ame ao teu próximo como a ti mesmo”.

Qualquer que vem a mim e ouve as minhas palavras, e as observa, eu vos mostrarei a quem é semelhante: Lucas 6:47

Todo aquele, pois, que escuta estas minhas palavras, e as pratica, assemelhá-lo-ei ao homem prudente, que edificou a sua casa sobre a rocha; Mateus 7:24

E aquele que ouve estas minhas palavras, e não as cumpre, compará-lo-ei ao homem insensato, que edificou a sua casa sobre a areia; Mateus 7:26

A religião tomou posse destas coisas depois que Constantino bagunçou a casa ainda mais e a verdade acabou se perdendo entre muitas falácias e mentiras pregadas por pessoas que sempre, até os dias de hoje, se auto intitulam representantes de deus, ungidos do senhor (este último tem bastante por aí, virou moda fazer isso), profetas, apóstolos, missionários de deus, bons pastores (KKKKKKKKK essa é demais), etc até o fim dos tempos!

Estes são simplesmente os lobos, as víboras, os ladrões, cães gulosos, são escribas e fariseus, doutores da lei (aqueles que escrevem, leem e interpretam as escrituras), tudo cobra, que roubam e matam, e ainda usam de longas orações (lembram de algo?) para justificar suas obras, mas a estes, o pior dos castigos recairá. Não são palavras minhas!

O que liberta o ser humano verdadeiramente é o amor, porque assim nos assemelhamos ao Pai, nos tornamos iguais porque não há acepção de pessoas. O Pai é Amor, como a escritura o define sabiamente. Se amamos e Amor é o Pai, o Pai está em nós e nós estamos no Pai.

1 menção

  1. […] tema  Torá, Leis e Ensinamentos, já explicamos um pouco sobre a postagem de […]

Deixe uma resposta

Seu e-mail não será publicado.